sábado, janeiro 23, 2010

Tudo outra Vez



Humberto Gessinger Trio
Bola da Vez

A bola da vez brilha em teu olhar
matar ou morrer é a impressão que ela dá
no verde do veludo a tua chance ao teu alcance
é a bola da vez: o paraíso e a maçã
o arqueiro zen e sua fé pagã

Tudo ou nada: agora ou nunca:
um lance: a tua chance
o jogador é um fogo a queimar
beleza e horror de um jogo de azar
a gente sempre está a fim
a gente sempre está pela bola da vez

Pela enésima vez vamos recomeçar
tudo outra vez: cada bola em seu lugar
no verde do veludo é tudo exposto: é tudo aposta
o jogador é um fogo a queimar
beleza e horror de um jogo de azar
a gente sempre está a fim
[a gente sempre está pela bola da vez]